Não sou nada.
Nunca serei nada.
Não posso querer ser nada.
À parte isso, tenho em mim todos os sonhos do mundo.

Álvaro de Campos



Talvez, só talvez…
Talvez, quando o tiquetaque dos relógios estiver em sintonia e fizer coro com os sons do mundo…
Talvez, quando o despertar do ser humano for unânime…

Talvez, quando o levantar das águas tocar nas almas das gentes perdidas…
Talvez, quando o pensamento dos Homens deixar de cheirar a mofo…
Talvez, quando não trouxermos as mãos criadoras sujas de lodo…
Talvez, quando as amarras do Sentir deixarem de sufocar o meu coração…
Sim, talvez, só talvez, um dia eu regresse…
Até lá, resta-me apenas viver igual a todos, igual a nenhuns.
Viverei, portanto, como intrusa na massa informe, escura e fria.
Adormecida no Silêncio e na utopia inocente de um mundo de cor, de luz e de Razão…
Enrolada na teia da inveja de todos aqueles que amam a alma e não o corpo que a faz prisioneira…
Não existo…
Ainda não nasci…
Mas sim, talvez um dia…

Rita Oliveira
11.10.2010

Comentários

Anónimo disse…
prestando alguma atenção,poderemos chegar á conclusão de que em determinados momentos o tique-taque dos relógios está em harmonia com o nosso coração e com o mundo. E, embora sempre tenham existido e venham a existir gentes perdidas,bem como pensamentos com cheiros nauseabundos, existem paralelamente a estas, gentes que sonham e que se encontram, pensamentos com cheiros a primavera, a brisas marinhas e á mistura de chuva com a terra aquecida pelo astro rei. Terra á qual pertencemos e que mal estará quem se esquecer desta mãe. De certo que pertencemos aos que não se esquecem. Beijinhos!!!
Anónimo disse…
tudo o que ao teu lado vivi,ficara para sempre sempre comigo, num cantinho secreto, protegido, onde ninguem pode chegar.

contigo, tudo passa, tudo cura,
contigo a amizade e bem pura.
nao quero, nao consigo, nem tento
dizer adeus a tudo
mais dias virao, uns melhores e outros nao.
o meu feitio nao é facil, eu sei e admito-o. mas e o unico que tenho e por mto q tente nao da para mudar.
a tua amizade e muito para mim, e espero que permanece por um looooooooooooooooooooooooonnnnnnnnnnnnnnnnggggggggggggggggggooooooooooooo periodo de tempo!!
bga por aturares os meus amuos repentinos, o meu silencio, por me aturares em geral.
OBRIGADA por fazeres parte da MINHA VIDA!!!!
Anónimo disse…
carin!!! (esqueci de assinar, sorry).
Anónimo disse…
Não sou nada.
Nunca serei nada.
Não posso querer ser nada.
À parte isso, tenho em mim todos os sonhos do mundo.

O sonho, a irrealidade da realidade, criando a realidade insignificando a irrealidade.
No entanto demonstrando o nosso coração, a nossa realidade. O que quere-mos ser? apenas matéria? Ou um ser capaz de amar? O que iremos ser? Só o nosso amor irá revelar.

Decidimos o que somos, tal como somos o que decidimos. Uma filosofia reversamente irreversivel. Confusa? Acredito...

Os teus textos tocam.me no coração, estou radiante.
Só lamento ter que o expressar assim.

Mensagens populares deste blogue

AEMINIUM

O sonho

Amagogía