quinta-feira, 11 de maio de 2017

Leonoid Afremov - Nostalgic

A minha paz é grande e dourada,
estende-se sob a areia da praia
e dela extravasa-se um fulgor que me aquece o peito 
em dias de chuva triste.
Os dias de chuva triste lavam-me o rosto 
da poeira das quedas, das cicatrizes do afogo.
Do meu rosto, os meus lábios sorriem para mim.
E por os meus lábios sorrirem para mim,
os meus olhos acedem-se como duas lâmpadas
que iluminam o caminho a dois amantes discretos.
E o caminho dos dois amantes discretos,
Não é mais do que as linhas da minha pele,
que se enlaçam, entrelaçam e se entrançam.
Na minha pele nascem pequenas flores de primavera.
 E quando nela não cabe a alegria de eu ser tanto,
eu danço.

Rita Fé

Sem comentários: